A vida de um baterista Sideman – Com Ricardo Pitchu

27/06/2019

A vida de um baterista Sideman – Com Ricardo Pitchu

Vou contar aqui um pouco da minha vida como baterista Sideman.

Uma vez, um dos artistas com quem eu toco me disse que o show em si é uma pequena parte de todo um trabalho árduo. Comecei a prestar atenção e vi que ele realmente tem razão, porém é um trabalho um pouco mais difícil quando você toca com diversos artistas.

Por exemplo, sob a visão dos meus trabalhos, eu ministro aulas em quatro escolas de 2ª a 5ª, gravo e ainda tenho que estar entrosado com o repertório de diversos artistas com quem toco. Tira música, ensaia, pratica em casa o repertório antes de cada fim de semana de show pra não haver confusão mental de qual ritmo. Groove, convenção, frases das músicas, etc. Lembrando que cada artista tem uma média de 20 músicas no mínimo no repertório. Fora os que gostam de variar de show pra show incluindo músicas novas. Muitas vezes que você desembarcar no aeroporto com artista “x” depois de 3h de viagem e já entra na van de outro artista pra viajar mais umas 6h pela estrada.

Imagina dentro de 1 mês você agendado com uns 7 artistas, bandas diferentes?

Imagina dentro de 1 mês você não ter folga pra nada? Pois leciona de 2ª a 5ª e toca e/ou grava de sexta a domingo?

Canseira boa demais!!! Afinal é o que amamos fazer não é mesmo?

Gostou dessa coluna com nosso endorsee Ricardo Pitchu? Leia mais textos como esse acessando nosso blog e acompanhando nossas redes sociais Instagram e Facebook.