fbpx
Amilcar-Chritófaro-capa

AMILCAR CHRISTÓFARO

Em 1991 larguei uma paixão para me dedicar a outra. Skate virou passado e bateria e o heavy metal se tornaram minha vida. Desde então, tenho escrito músicas, gravado álbuns e feito turnês, tendo tocado em mais de 35 países com o Torture Squad. Em 2002 começo a lecionar escrevendo métodos próprios de ensino de bateria, mas em 2004 me torno professor da escola Bateras Beat (Pinheiros – SP) e também entro para o time da Orion Cymbals. Hoje também toco com Andreas Kisser e seu filho Yohan no Kisser Clan e no Matanza Ritual.

MEU PRATO

Desde o começo a Orion me chamou a atenção por um timbre que eu nunca tinha ouvido em um prato brasileiro, ou seja, único. No modelo Solo Pro, primeiro que ouvi e toquei, já tinha esse timbre brilhante que pra mim é marca registrada da Orion. Depois disso, toquei com Rage Bass (com a sonoridade um pouco mais dark e durabilidade muito boa), com Revolution Pro, que já considerava uma mescla perfeita entre timbre mais high, passando pelo refinado Solo 20, até que chegou o X10, que é o prato que mais me identifico. Timbre e sustain equilibrados tendo com a melhor durabilidade.

MEU SETUP

Splash 8″ – Rev Pro
Hi hat de 14″ – X10
Hi hat de 15″ – X10
Crash de 18″ – X10
Crashes de 19″ – X10
Crash/Ride de 20″ – MS
Ride de 21″ X10 – Signature Amilcar Christófaro
China Type de 18″ – X10
China Type de 20″ – X10
Mini China de 11 1/2 – Rev Pro
Stack com 8″ e 10″ – Rev Pro
Bell de 8″ – protótipo

Fechar Menu