fbpx
Robson-Caffé-capa

ROBSON CAFFÉ

Nasceu em Brasília e desde a infância teve a música em evidência nas diversas fases de sua trajetória até se decidir a viver da música, pela música e para a música.
Multi instrumentista, estudou violino, violão e percussão erudita no Conservatório de Música de Brasília m 1980 iniciou seus estudos no Conservatório de Música de Brasília, mas somente em 1986, já morando em Goiânia, por insistência do tio, irmão caçula de sua mãe e seu companheiro de grooves, definiu-se como baterista e então passou a estudar Stúdio – Centro de Música, ligado ao Clube do Choro, onde teve a oportunidade de estudar ritmos brasileiros e latinos, além de aperfeiçoar sua leitura musical, agora direcionada à bateria. Caffé também participou de duas edições do Curso de Verão de Escola de Música de Brasília e participou de aulas e workshops com Kiko Freitas, Zé Eduardo Nazário e Alex Acuña.
Depois de passar por diversos grupos musicais em igrejas, sua sede por mais oportunidades no meio musical fez com que em 1991, formasse com outros dois amigos a banda gospel “Matéria Prima”, com quem gravou seis discos durante os oito anos de existência da banda. Com isto, Caffé fez bons relacionamentos e teve excelentes referências que lhe permitiram participar de inúmeros trabalhos no mesmo segmento, acompanhando vários artistas de renome nacional e internacional como Grupo MILAD, Quarteto VIDA, Expresso Luz, Carlinhos Veiga, Alda Célia, Kléber Lucas, Ministério Comunidade Cristã, Asaph Borba, Brother Simeon, Nádia Santolli, Orquestra Cristã de Brasília. O envolvimento com estes artistas lhe trouxe a oportunidade de mostrar seu talento também em turnês por praticamente todos os estados brasileiros, alguns países da América do sul e também em viagens aos Estados Unidos.
Sua trajetória como educador lhe permitiu trabalhar com musicalização para alunos portadores de necessidades especiais e desenvolveu uma linha de ensino que envolvia psicomotricidade e inicialização musical, visando a inclusão social destes alunos através de oportunidades de destaque e reconhecimento de seus talentos musicais em espaços que transcendessem as paredes da escola de música.
Em 1997, fundou a banda “Laia Vunje”, contratada pela Abril Music, com quem viveu grandes momentos de sua carreira, quando a música “Sexta-Feira” foi tema da novela “Tiro e Queda” da Rede Record e seu videoclipe incluído na programação de canais como MTV e Multishow. Com a Laia Vunje excursionou por todo o país, chegando a abrir shows de bandas como Titãs, Pato Fu e Gabriel, o Pensador.
No final de 1999, seu tempo com a “Laia” chegaria ao fim e através de seus trabalhos em estúdio ao lado de Fernando Palau, conheceu os irmãos Max e Regis Bennett, com quem viriam a formar o “EX4 – Exatamente qu4tro”, com quem já gravou cinco álbuns e um DVD. Com o EX4, Caffé ampliou sua exposição na grande mídia, com passagens por programas de TV como “Caldeirão do Huck” e “Mais Você” da Rede Globo, “Raul Gil”, “Prá Você” além de vários outros programas em emissoras ligadas ao segmento musical em todo o Brasil. No ano de 2008, o videoclipe da música “Eu Nunca Quis” de autoria do próprio Caffé, foi o que mais tempo permaneceu entre os 5 clipes mais vistos no site da MTV, recebendo comentários e uma matéria colocando a banda como uma das maiores revelações do MTV Overdrive em 2008.
Paralelamente, desde o segundo semestre de 2007, a banda EX4 idealizou, coordenou e esteve à frente de um projeto que levou música e conscientização social às escolas de São Paulo, o “EX4 nas Escolas”, onde os integrantes da banda levaram mensagens de bem viver, responsabilidade e conscientização social, defendendo a educação musical nas escolas como forma de resgate da cidadania. Hoje, ainda em execução, os projetos socioculturais empreendidos pela Banda EX4 tomaram proporções nacionais, e já receberam por quatro anos consecutivos o “Certificado de Mérito Cultural” expedido pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.
Em 2012, a convite da importadora oficial das marcas PDP e DW, Robson Caffé participou do evento “DW Days Latin America”. O evento, parte do projeto “DW Days” – Turnês mundiais realizadas em comemoração aos 40 anos da marca e que contaram com a participação dos mais renomados endorsees PDP e DW. Neste evento, o baterista (único brasileiro a tocar), teve a honra de fazer o show de abertura para uma platéia seleta de mais de 1500 pessoas, que compareceram para assistir às memoráveis performances de Marco Minnemann e Chester Thompson.
Robson Caffé acumula em sua carreira uma discografia com mais de 50 obras lançadas, além de incontáveis participações como músico convidado.
Além disso, Robson Caffé traz em seu currículo sua atuação como consultor de marketing para empresas fabricantes de instrumentos musicais, com participação nas maiores feiras do segmento do mundo (NAMM Show – USA e MusikMesse – GER).
Outro nicho de atuação onde Caffé se destaca é como palestrante. Seu conteúdo sobre gestão de carreira já foi reconhecido nacionalmente, chegando a ministrar palestras para fundações ligadas ao desenvolvimento humano e para o SENAC.
E assim, aquele garoto que um dia enchia os olhos ao ver uma bateria na TV, segue sua trajetória; sonhando, vivendo, aprendendo e realizando sonhos cada vez maiores.

Para a música, pela música.
Soli Deo Gloria.

MEU PRATO

É um grande privilégio ter em uma marca de pratos, todas as possibilidades sonoras que as mais diversas necessidades artísticas exigem.
Sou um baterista de Rock, sem maiores rótulos ou definições. O senso comum entre todas essas coisas é que minha pegada é forte e precisa e cada prato tem que soar 200% atendendo à proposta para que foi projetado. Por isso, mesmo tendo a maioria dos pratos da série X10, cada prato, com sua medida e timbre específicos, foi minuciosamente escolhido para compor o meu som.
Atualmente, 90% das minhas atividades musicais estão ligadas a performances ao vivo em palcos. Por isso, escolhi pratos que me garantem alta fidelidade sonora dentro do que cada prato se propõe: Os crashes (Todos da série X10), tem um intervalo harmônico entre si e as medidas (17″, 18″ e 20″) foram escolhidas para garantir aplicações diversas durante a música, sendo para um ataque mais rápido ou para “crashear”.
Meus splashes são outra característica do que compõe o meu som. Uso um Splash de 6″ da série MS, outro de 10″ da série REV10 e um Mini China de 11/¹/²” da Série SOLO10 (que às vezes uso com um Splash de 8″ da série REV10) como “Stack” e em outras vezes, sozinho, como prato de efeito.
Outra característica do meu set é que uso dois Hi-hats. Um X10 de 15″, sempre semiaberto, à direita do meu Ride e outro, também da linha X10, de 14″.
O Ride é um X10 MegaBell Impact de 21″. Um prato que definitivamente não toco sem, pois tem um som de “ping” muito definido, com a abertura certa para diversas dinâmicas (inclusive as mais fortes) e um som de cúpula maravilhoso, com sustain e sem harmônicos indesejados (overtones). Um prato maravilhoso – No sentido mais amplo da palavra!
Pra finalizar, meu China X10 de 20″ tem tudo o que eu sempre esperei de um prato de efeito: PERSONALIDADE! Com esse prato eu tenho o corte poderoso e o som agudo de um prato que realça os momentos mais expressivos de cada música e a medida de 20″ me garante o sustain ideal.

MEU SETUP

Crashes 17″, 18″ e 20″ X10
Splash 6″ MS
Splash 10″ REV10
Mini China de 11/¹/²” SOLO10
Splash 8″ REV10
Hi-hat 15″ X10
Hi-hat 14″ X10
Ride Impact de 21″ X10
China 20″ X10

Fechar Menu